terça-feira, 24 de maio de 2011

Gays, Famosos... E Criminosos!

Gays, Famosos... E Criminosos!

Tem sido lugar comum na história das irmandades e das sociedades secretas a inclusão de nomes famosos em suas listas de “membros” a fim de conferir-lhes historicidade, credibilidade, prestígio e poder; sem falar do termo Secreta, que é a isca dos tolos. O exemplo mais recente do uso de nomes de famosos do passado está na fictícia sociedade secreta o Priorado de Sião, supostos protetores da linhagem de sangue de Jesus na Terra, hipótese esotérica (ocultista-satanista) explorado pelo escritor Dan Brown em seu best seller O Código Da Vinci.

Todavia, pior do que a inclusão mentirosa dos nomes famosos do passado em suas listas de “membros” é a classificação dos nomes famosos do passado como um-dos-seus. Explico: se a sociedade secreta for a máfia, os personagens famosos incluídos nas listas de “membros” serão classificados como mafiosos; se for a maçonaria, serão classificados como maçons; se for ocultista, serão classificados como ocultistas... E por ai vai... E se a organização ou sociedade secreta for um grupo homossexual? Ai está o busilis da questão: os nomes famosos serão classificados como gays. Tudo falso; tudo para conferir credibilidade e prestígio aos gays.

Recordo-me de que alguns anos atrás uma “importante” desconhecida européia divulgou uma lista dos mais famosos gays da história, incluindo em sua lista ninguém menos que Karl Marx. Ele mesmo: o ideólogo modernista do comunismo (pois a idéia do comunismo não é marxista, mas remonta aos primórdios da sociedade). Obviamente, os marxistas ficaram furiosos com a “importante” desconhecida que classificou e incluiu seu deus, Marx, em sua lista de gays famosos. Esqueceram-se, porém, que alguém que pratica algum tipo de perversão sexual nunca o admitirá. Assim, para o pedófilo a sua atividade é “natural.” O mesmo dizem os zoófilos, os necrófilos, os homófilos e os etc. O mesmo dizem os homossexuais (e seus codinomes dentro da sigla GLBTS = Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transsexuais e Simpatizantes).

Mas, fazer o quê? Não se pode impedir um mau caráter de agir como tal, uma vez que para ele o fim justifica os meios. E o fim, para os membros de sociedades secretas, é a autodefesa e a supremacia de seu grupo... E o resto do mundo que se dane!

Recordo-me ainda de uma “doutora” marxista, uma mulher ignorante que me foi imposta como professora no curso de Mestrado em Educação que freqüentei numa certa universidade do interior paulista. A mulher era uma esquerdista-petista patológica. Certo dia ela chegou na sala de aula com um monte de livros sem quaisquer vínculos com o curso. Jogou os livros no chão e ordenou que cada um dos mestrandos pegasse um livro e fizesse um trabalho sobre ele. Entre os livros havia um sobre Michelangelo. Aquela mulher era um típico caso da professora relaxada que não preparou sua aula e usou a primeira loucura que lhe veio à mente para enganar e roubar o tempo dos alunos. Pois bem. Um dia aquela “doutora” ignorante afirmou, em alto e bom tom: “Sabem por que Michelangelo criou obras tão divinas? Por que ele era homossexual.” Eu fiquei indignado quando ouvi aquele disparate. E decidi completar a frase daquela mulher ignorante: Nero e Hitler também eram homossexuais. Será que a inspiração deles veio de Deus? É quase certo que este foi o motivo pelo qual aquela universidade me impediu de completar o meu mestrado em educação.

Eu sabia que para aquela “doutora” ignorante nada importava, exceto o partidarismo esquerdista que lhe garantia o emprego. Cito aquela “doutora” ignorante porque ela, imprudente como todo ateu, atreveu-se a desonrar o nome de Michelangelo, o grande artista cristão (morto há quase 500 anos não podia se defender), apenas para defender sua provável homossexualidade; o desvio de conduta sexual que sofrera em algum momento de seu passado. Cito aquela “doutora” ignorante apenas para lembrar que Michelangelo nunca foi gay; mas foi um cristão fervoroso que dedicou cinquenta anos de sua arte ao cristianismo católico (Veja o documentário O Lado Obscuro de Michelangelo no natgeo). Na verdade, Michelangelo foi mais que um católico, pois pertencia ao grupo dos Espiritualli, católicos artistas e escritores importantes que atuavam secretamente para reformar a Igreja Católica nos moldes da Reforma Luterana. Assim, pode-se dizer que Michelangelo foi um cristão “luterano.” Pouco se sabe sobre a sua vida sexual porque ele era um homem discreto e porque a boa arte exige solidão, e não porque fosse um pervertido sexual. Todos os grandes nomes dentre os Espiritualli foram perseguidos, presos ou mortos pela Inquisição. A fama e o prestígio de Michelangelo o salvaram da Inquisição e da fúria da Igreja da época, que cortou seu salário, ameaçou apagar o teto da Capela Sixtina e o perseguiu até a morte. Mas Michelangelo revelou o que pensava da liderança católica de sua época quando esculpiu um par de chifres na cabeça da estátua de Moisés, exibida atualmente no túmulo do Papa Júlio II (1443-1513), no Vaticano. Por tudo isso a afirmação daquela “doutora” ignorante não tinha nenhum fundamento histórico. Era uma mentira descarada.

Newton, Freud e Hitler: Gays e criminosos

Voltando à questão do uso criminoso dos nomes famosos do passado recordo aqui os nomes de três famosos gays do passado: Newton, Freud e Hitler. Por que será que os homossexuais não incluem os nomes deles em suas listas de gays famosos? A resposta é óbvia: eles eram gays, ateus e criminosos! E os gays querem vincular o homossexualismo apenas a nomes que lhes prestigiem. Querem passar a idéia mentirosa de que: todo gay é um cidadão de bem, justo, puro e santo! Pelo menos é isto que a Rede Gay está enfiando na cabeça de milhões de brasileiros há décadas, e com o aval dos governos esquerdistas, uma vez que um sinal de TV é uma concessão pública, do governo!

Ninguém precisa ser um gênio, ou ir muito longe para desmascarar a mentira de que todo gay é um santo! Basta ir à noite nas vizinhanças de uma boite ou de um bar gay (geralmente, as perigosas ZBMs = Zonas de Baixo Meretrício), ou pesquisar nas delegacias de polícia a quantidade de Boletins de Ocorrência envolvendo gays e afins. A verdade? As vítimas dos desvios de conduta sexual não estão interessadas na verdade (eles têm medo da verdade, pois a verdade tem a ver com Deus e com a vida eterna). Eles querem apenas justificar e “naturalizar” suas perversões.

O homossexualismo é natural? Apenas para não fugir de uma resposta, respondemos brevemente: Não. O homossexualismo não é natural porque a finalidade do prazer sexual é compensar o sacrifício do parto e da lida familiar. Os estudos da teleologia confirmam que todas as coisas da natureza possuem uma finalidade específica. Exemplo: os raios solares são um tipo de fonte energética imprescindível à vida. A água existe para saciar a sede dos seres vivos, e assim por diante. No contexto da teleologia tudo possui uma finalidade específica. Assim, a finalidade do sêmem masculino é fecundar o óvulo no ventre feminino a fim de perpetuar a espécie. Por isso, o uso natural, a direção natural do sêmem masculino é o ventre e o óvulo feminino, e não o ânus fétido de um outro homem. A relação homossexual não é uma relação sexual, pois não envolve os órgãos sexuais (os aparelhos reprodutores) de um casal de seres humanos (homem e mulher), que é a relação natural. A relação homossexual masculina envolve o aparelho reprodutor de um homem e o aparelho excretor de outro homem. E isto, evidentemente, não é natural. A relação homossexual não é natural. Por isso, nada tem de divino.

Que dizer do homossexual Isaac Newton?

Para o mundo desinformado Newton foi um gênio da matemática e da física. Apenas isto; era um ser quase sobre-humano. Por isso, os matemáticos e os físicos materialistas fingem que a vida de Newton não possuía uma dimensão espiritual e nem moral. Todavia, os estudiosos sabem que, como ser humano, Newton foi um desastre, e seu fracasso como ser humano foi registrado no livro Newton. O Último Feiticeiro, do escritor Michael White (Record/2000). Apenas para exemplificar, citemos algumas das condutas anticristãs do Newton, extraídas do livro do White: 1. Era homossexual (amante de Fatiu de Duillier); 2. Trocou a ciência pela Casa da Moeda (não amava a ciência); 3. Era um ladrão (desviou 32 mil libras da Casa da Moeda), mas explicou a origem de sua fortuna a cálculos de probabilidade; 4. Para ocultar sua desonestidade perseguiu os credores da coroa e assinou mais de 100 ordens de prisão; 5. Mandou enforcar todos os endividados da coroa (isto é amor cristão de Newton); 6. Foi um ladrão teórico confesso das idéias de Hooke e Leibniz; 7. Foi um ocultista-satanista confesso, escreveu contra Deus e negou a natureza divina de Jesus; 8. Foi um alquimista materialista e ambicioso; passou muitos anos tentando transformar chumbo em ouro; 9. Foi um político omisso e inútil (nunca fez um pronunciamento); 10. Roubou da Bíblia a idéia de que a Terra não possuia sustentação visível (a lei da gravitação);11. Escreveu uma confissão mentirosa na qual confessou ter cometido apenas 45 erros e 9 pecados ao longo de toda a sua vida! Um cinismo mais que ridículo.

Com um currículo destes é óbvio que os homossexuais não iriam incluir Newton em sua lista de “membros” gays famosos. Newton foi um mau caráter, um pervertido sexual, mentiroso, corrupto, ladrão e assassino. Todos os cristãos, e também todos os físicos, deveriam ler o livro O Último Feiticeiro, de Michael White, pois é um dos bons livros que revelam o lado ocultista/satanista do homossexual Isaac Newton.

Que dizer do homossexual Sigmund Freud?

Teve relações homossexuais com Wilhelm Fliess. Nasceu judeu, mas odiava o Judaísmo e o Cristianismo porque viu um cristão humilhar seu pai. Viu sua mãe nua (matter nuda) e passou a sentir um ardente desejo sexual por ela. Com apenas cinco anos de idade odiava seu pai ao ponto de urinar no lado da cama em que ele dormia e na cadeira em que ele lia (Cf. Freud. Coleção Gênios que Mudaram a Humanidade. Editora Três, 1974). Negou a existência de Deus e a natureza benéfica das religiões, classificando-a como uma ilusão e causadora da repressão sexual e raiz de todos os problemas mentais. Escreveu que Deus é uma imagem projetada dos pais (em adultos que não cresceram). Propôs como solução dos problemas psicoemocionais a negação total de todos os valores espirituais e morais, e a liberação total da sexualidade, defendendo as perversões como sexo natural, inclusive o homossexualismo. Via os seres humanos como meros animais movidos pelo desejo sexual.

Em seu livro Atentado à Verdade Geoffrey Moussaief Masson revelou alguns dos crimes de Freud, tais como a supressão da Teoria da Sedução (os adultos seduzem as crianças, traumatizando-as. Isto é verdadeiro) e sua substituição pela falsa teoria da sexualidade (as crianças já nascem com tendências à imoralidade e à perversão sexual). Tudo depende da direção e do grau de seu desenvolvimento. Por isso, os traumas não são provocados pelos pedófilos adultos; mas as próprias crianças são “culpadas” pelos seus traumas psicoemocionais e sexuais (Isto é falso; os adultos é que abusam e pervertem as crianças). Afirmou ainda que a feminilidade é um efeito do Complexo de Castração (inveja do pênis), e que, como ele desejava fazer sexo com sua mãe, este era um desejo natural experimentado por todos os seres humanos. Logo, afirmou que todo menino desejava fazer sexo com sua mãe (Complexo de Édipo) e toda menina desejava fazer sexo com seu pai (Complexo de Electra), e este desejo explicaria a atração mãe-filho e pai-filha. Freud encontrou na mitologia grega o mito Édipo Rei, e passou a utilizar a mitologia grega para fundamentar e justificar o ardente desejo sexual que sentia por sua mãe e o profundo ódio que sentia por seu pai.

O amante de Freud, Wilhelm Fliess, desenvolveu uma estúpida teoria da nasalidade (a relação dos problemas sexuais com o nariz). Fliess operou o nariz de uma paciente chamada Anna, mas deixou um pedaço de tecido dentro do nariz da paciente. A cirurgia infeccionou e o nariz da mulher ficou deformado para sempre. Fliess ficou “sofrendo” e com remorso. Para aliviar o remorso de seu amante homossexual Freud inventou que o desastre ocorrido com o nariz da paciente era culpa dela mesma, pois ela sofria do Complexo da Nasalidade (uma hipótese absurda e ridícula). Freud expulsou da Sociedade Psicanalítica todos os que discordavam de suas loucas hipóteses pansexuais. Exigiu que os psicanalistas cobrassem altos preços de seus pacientes a fim de selecionar a clientela entre os mais ricos e poderosos, atraindo prestígio para a psicanálise. A filha de Freud, Anna Freud, era lésbica e jamais conseguiu se interessar por homens. Freud passou a vida inteira aplicando a psicanálise em sua filha, mas jamais conseguiu curá-la de seu desvio de conduta homossexual. Se ele a tivesse levado a uma igreja cristã pentecostal provavelmente a história seria diferente, pois as igrejas cristãs estão repletas de ex-homossexuais. Alguém deveria realizar uma pesquisa para comprovar este fato. Cabe lembrar que Luis Mott, chefe dos gays da Bahia, admitiu no Programa do Jô (24.10.2010) que “ninguém nasce heterossexual” (e nem homossexual) e que existem ex-homossexuais e ex-heterossexuais (ele próprio foi casado e teve duas filhas). Portanto, o vício do homossexualismo é uma patologia espiritual e pode ser eliminada.

O popular “Freud explica” é uma completa falácia. A maior parte das mentiras e loucuras freudianas (todas rejeitadas pela psicologia atual) foram desenvolvidas em parte pela mulher de Freud, Martha Bernays, que escutava todas as sessões de análise por um buraco feito por Freud na parede de seu consultório. Freud costumava dormir durante as sessões. Por isto virou o divã de costas para ele e pediu que sua esposa ouvisse as pacientes. Ele ficava atrás do divã e cochilava à vontade.

Em seu livro Moisés e o Monoteísmo Freud inventou uma mentira grosseira tentando destruir o fundamento histórico do Judaísmo e do Cristianismo, afirmando que Moisés foi um egípcio e que foi assassinado no Egito. Em seu livro O Futuro de Uma Ilusão atacou e negou a existência de Deus e a naturalidade e importância da religião como fonte de conforto espiritual para a humanidade. No livro a Interpretação dos Sonhos atacou e negou completamente a espiritualidade humana e a vida eterna, atacando irresponsavelmente bilhões de cristãos de todo o mundo.

Marx tentou destruir as dimensões política e econômica da civilização cristã. Fracassou. Freud tentou destruir as dimensões espiritual e moral da civilização cristã. Fracassou também. Atualmente sabe-se que o freudo-marxismo destruiu as vidas espirituais e morais de centenas de milhões de pessoas em todo o mundo. De tão corrosivas para a família natural e para a sociedade as idéias de Freud foram completamente rejeitadas na ateísta ex-União Soviética. Stálin deu 24 horas para Freud se retirar da ex-União Soviética.

O estudo profundo da obra do homossexual Sigmund Freud revela que ele era movido por um profundo ódio pessoal contra Deus e contra as religiões e contra os princípios morais, e que seu objetivo central era destruir por completo as bases históricas e teóricas do Cristianismo e da Civilização Cristã Ocidental. Neste ponto, Freud se assemelha ao satanás bíblico e ao terrorista Osama Bin Laden.

Que dizer do homossexual Adolph Hitler?

Sobre este homossexual não será preciso escrever muito. Mas vamos enumerar alguns de seus feitos a fim de evidenciar a sua “sensibilidade” homossexual: 1. Era louco. Seu objetivo era nada menos do que a conquista do mundo; 2. A fim de conquistar o mundo provocou uma revolução racista e sanguinária que levou o mundo à guerra; 3. Destruiu a liberdade e suprimiu os direitos humanos e a democracia cristã por onde passou; 4. Oficializou o ocultismo/satanismo no III Reich (o reino que pretendia criar e que duraria mil anos); 5. Implantou o terrorismo oficial.

O homossexualismo de Hitler foi pesquisado e documentado no livro O Segredo de Hitler, publicado em 2001 pelo historiador alemão Lothar Machtan. Como o homossexual Nero, o homossexual Hitler foi um artista fracassado, praticante do masoquismo e do incesto (Cf. Geli Raubal). Era filho bastardo de judeu. Por isso odiava os judeus. A fim de esconder sua homossexualidade mandou prender e fuzilar todos os homossexuais da Alemanha. Era um genocida psicopata que causou a morte direta de 12 milhões de pessoas durante os doze anos em que esteve no poder. Deflagrou a II Guerra Mundial que mutilou e matou mais de 50 milhões de pessoas.

O lado psicopata, genocida e pervertido do homossexual Adolph Hitler o mundo já conhece o suficiente para repudiá-lo completamente. Mas o lado homossexual e o lado místico (ocultista-satanista) de Hitler poucos conhecem. O lado homossexual de Hitler foi bem pesquisado no livro O Segredo de Hitler, do historiador alemão Lothar Machtan. O lado místico (ocultista/satanista) de Hitler já vem sendo pesquisado e publicado há vários anos, mas o mundo ainda não o conhece suficientemente. Três livros que tenho em minha biblioteca fornecem informações suficientes para demonstrar que o homossexual Adolph Hitler era um ocultista/satanista. São eles: O Reich Oculto. O Ocultismo na história de Hitler e do Terceiro Reich, de J.H. Brennan (editora Madras/2007); Os Segredos do Nazismo. Sérgio Pereira Couto (Editora Universo dos Livros/2008) e A Lança Sagrada de Hitler, de Pedro Silva (Editora Universo dos Livros/2008). Existem muitos outros livros, artigos e documentários sobre o homossexualismo de Hitler e sobre seu vínculo com o satanismo/ocultismo. O aspecto importante a destacar aqui é que o homossexualismo é um desvio de conduta sexual e que possui causas psíquicas e espirituais, as quais podem ser tratadas pela psicologia e pela religião. Estes são os fatos. O resto é propaganda enganosa. Mas se não despertarmos a tempo a propaganda antifamília da Rede Gay e do Partido Gay poderá destruir espiritual e moralmente o Brasil. Não estará na hora de os cristãos brasileiros despertarem?


Jornalista Leornes Ferreira - Léo Villaverde

3 comentários:

Anônimo disse...

Afff!!! que lixo esse que voce publicou aqui. tenho pena de voce e dos seus filhos

Evolução em Pensamentos disse...

Doente mental...o que te falta é cultura, conhecimento e educação, seu louco! Por isto voce não concluiu o curso naquela faculdade: porque vc é um criminoso HOMOFÓBICO E MENTIROSO!

Anônimo disse...

Dizer que Freud era um doente homesexual é um absurdo, seu doente, você nem ao menos sabe sobre as teorizações da psicanálise para enventar tanta besteira, criticar Freud é demais, não dá e ainda sujar a imagem dele que é sagrada dizendo que ele é um homexual só porque desenvolveu a toria do desenvolvimento psicosexual. Seu burro, idiota, doente pervertido, vá estudar primeiro para entender, inventar essas coisas de Freud já é demais.